terça-feira, 11 de março de 2014

HISTÓRIA - Ano a Ano - 1909

Em abril de 1909, aproveitando a agitação que causava nos meios esportivos a divulgação de uma excursão do Sport Club Rio Grande à capital, os irmãos Poppe passaram a buscar os marginalizados do futebol porto-alegrense, que não conseguiam espaço no Grêmio e Fussball, com o intuito de fundar um novo clube.

Assim, foi marcada uma reunião visando a fundação de um clube para o dia 4 de abril, domingo, na Avenida Redenção, 141, que mais tarde seria Avenida João Pessoa, 1025. Todos os convidados e mais alguns amigos apareceram, sendo levados para o porão da casa pelos irmãos Henrique, José e Luís Poppe. Eram cerca de quarenta pessoas, em sua maioria funcionários do comércio e estudantes. Nessa reunião os irmãos Poppe, juntamente com Antônio Coiro, João Leopoldo Seferin, Legendre de Chagas Pereira, Breno Dornelles, Alfredo Wetternick e outros, fundaram o Clube do Povo. O nome do clube ainda não havia sido decidido, mas suas cores sim. Na época, existiam duas grandes sociedades carnavalescas em Porto Alegre: os Venezianos, de cores vermelha e branca, e a Sociedade Esmeralda, de cores verde e branca. Como a maioria das pessoas na reunião era veneziana, as cores escolhidas foram o vermelho e branco. Algumas versões dizem que os irmãos Poppe queriam que o clube tivesse as cores vermelho, preto e branco (cores da bandeira do estado de São Paulo). Para o domingo seguinte ficou a escolha do nome e eleição da direção do clube.

No dia 11 de abril de 1909 foi realizada a segunda reunião, na qual Henrique Poppe defendeu a idéia, aprovada, de que o clube se chamasse Sport Club Internacional, nome do clube campeão paulista de 1907, estado onde os Poppe haviam morado.[1] Na reunião também foi eleita a primeira diretoria do Sport Club Internacional:

Presidente Honorário: Graciliano Faria Ortiz
Presidente: João Leopoldo Seferin
Vice-Presidente: Pantaleão Gonçalves de Oliveira
1º Secretário: Legendre de Chagas Pereira
2º Secretário: Manoel Lopes da Costa
1º Tesoureiro: Antônio Coiro
2º Tesoureiro: Waldemar Fachel
Capitão: José Poppe
Orador: Henrique Poppe Leão
Comissão de Campo: João Luís de Andrade Vasconcellos, Irineu dos Santos, Luís Madeira Poppe e Alcides Faria Ortiz

A escolha de João Leopoldo Seferin para primeiro presidente efetivo do Internacional ocorreu porque ele não sabia e não gostava de jogar futebol. Assim, seria mais útil como dirigente do que como jogador. Além disso, esse era um cargo que ninguém mais gostaria de ter. Muitos anos depois, nas festividades de inauguração do Beira-Rio, Seferin explicou que na época era "praticante do ciclismo e não se sentia bem jogando futebol". A primeira sede do clube também foi definida na reunião. Ela seria na Rua José de Alencar, 179, que era também sede do Club 17 de Junho. O primeiro estatuto também foi elaborado, sendo aprovado por 40 sócios em Assembléia Geral, no dia 2 de maio. Infelizmente não existe exemplar conhecido deste estatuto.

Pouco depois da fundação, Henrique Poppe apresentou-se ao cronista esportivo Arquimedes Fortini, do Correio do Povo, dizendo que havia fundado um clube de futebol. Dessa conversa, Henrique Poppe fez um convite aos sócios de um clube já existente, chamado Grêmio Foot-Ball Internacional, do qual Arquimedes Fortini era secretário, para ingressarem no Internacional, onde seriam aceitos como fundadores. Arquimedes Fortini foi declarado sócio benemérito em 20 de abril de 1909.

O clube de Fortini surgiu provavelmente em 1907, quando Luiz Ludwig, Jacob Cechin, Pedro Calunho, João Ibañéz e o próprio Arquimedes Fortini desligaram-se do Sport Club 15 de Novembro[2] e fundaram o Grêmio Foot-Ball Internacional, nas cores preto e branco. O material esportivo do clube era guardado no armazém do comerciante português José Antônio Cordeiro, localizado na chamada “Volta do Cordeiro” (onde hoje se localiza o HPS). Seus treinos ocorriam no campo em frente à Escola de Guerra. Quando este clube incorporou-se ao Internacional, o novo clube passou a utilizar os mesmos armazém e campo.

Em 18 de julho de 1909 o Internacional entrou em campo pela primeira vez, sendo derrotado pelo clube que se tornaria seu maior rival. No mesmo ano, o Colorado ainda jogou mais três amistosos contra o Militar, clube dos alunos da Escola de Guerra (que funcionava no prédio do atual Colégio Militar). O Internacional venceu um, empatou outro e perdeu outro. Vignoles marcou o 1º gol colorado, em 10 de outubro de 1909, na vitória de 2x1 sobre o Militar. Era a 3ª partida do Internacional.

O público que compareceu ao "ground" da Várzea, nesse dia, foi estimado em mais de mil pessoas. O Militar cercou o campo com arame e construiu um pavilhão para convidados. Após o jogo, o Militar ofereceu doces, cerveja e licores para sócios e atletas das duas equipes. Logo a seguir, as comitivas dirigiram-se para a sede do Internacional, onde a direção colorada ofereceu uma mesa de doces e cerveja.

[1] “A denominação de Sport Club Internacional foi inspirada pelos irmãos Poppe que haviam sido jogadores de club de igual nome, em São Paulo”. Diário de Notícias, 5 de abril de 1931, p. 14.
[2] O Sport 15 de Novembro, presidido por Júlio Hanke e pelos irmãos Carls, era uma espécie de “filhotes” do Grêmio.

2 comentários:

  1. Olá Raul. Há muitas afirmações e sujestões neste texto. Você teria como explicitar quais são as fontes disso tudo?

    ResponderExcluir
  2. As minhas fontes são basicamente as edições de jornais da época, Correio do Povo, A Federação, O Diário e Diário de Notícias.

    ResponderExcluir